Tesouros Nacionais

A autenticidade, a originalidade, a raridade, a singularidade, a exemplaridade, o génio do criador, o testemunho de vivências, factos históricos e identidades coletivas, o valor estético, técnico ou material e a importância do ponto de vista da investigação histórica ou científica são alguns dos fatores que, em 2006, levaram à atribuição da classificação “TESOURO NACIONAL” a 18 peças à guarda do Museu de Lamego.

De valor excecional, o antigo retábulo da Sé, da autoria de Vasco Fernandes, as tapeçarias flamengas (“Série de Édipo“, “O Julgamento do Paraíso” e “O Templo de Latona“) os painéis de azulejos do século XVII e a arca tumular do séc. XIV, onde supostamente foram depositados os restos mortais de D. Teresa Anes de Toledo, 3ª mulher do podereso Conde Pedro Afonso, integram um conjunto de Tesouros mais amplo, que abrange outros museus nacionais, correspondendo a classificação à forma de proteção mais elevada dos bens culturais móveis.

Consagrados em Diário da República pelo Decreto nº 19/2006 de 18 de julho, os Tesouros Nacionais do Museu de Lamego ocupam o seu lugar, não só no panorama nacional, mas também no panorama internacional, afirmando-se pelo valor patrimonial de exceção de que se revestem, portadores de uma identidade que ultrapassa as fronteiras portuguesas.