Programação diversificada em ano de Centenário

Música, cinema, fotografia, exposições, conferências, lançamentos e ações de formação marcam o Centenário do Museu de Lamego até ao final do ano, a par de um reforço da comunicação online. A segunda fase da programação do centenário já arrancou com a programação dedicada às crianças e no dia 10 de junho com o Concerto de Centenário.

Em julho, o destaque vai para a inauguração da exposição do centenário. “Museu de Lamego: Since 2017” é tudo menos uma exposição tradicional, assumindo-se como uma exposição retrospetiva de 100 anos a dizer “presente”. Ao mesmo tempo, esta não será uma exposição fechada, mas antes uma exposição em construção, onde o visitante é protagonista da própria História. O resultado final, esse só será visível muitos milhares de visitantes depois…

Mas a programação do centenário não fica por aqui. Ainda em julho, 5 fotógrafos amadores revelam-se na sala de exposições temporárias do museu, dando corpo ao projeto “Museu em 100 imagens”.  Em 2017, o Ciclo de Fotografia assume um formato que vai totalmente ao encontro do grande objetivo das comemorações: a cada vez maior abertura ao público. Neste contexto, o museu desafiou cinco fotógrafos a “olharem” o Museu sob novas perspectivas, sob novas formas de relacionamento com o espaço museu.

Em agosto é o cinema que assume o papel principal e traz os heróis do universo Loony Tunes, direcionando-se pela primeira vez para o público infantil, ao mesmo tempo que evoca o imaginário de pais e avós. Bugs Bunny, Daffy Duck, Sylvester, Speedy Gonzales, Tweety ou Pepé Le Pew prometem animar as noites de sexta-feira, através da projeção das curtas metragens produzidas entre 1930 e 1969 e distribuídas pela Warner Bros, num Ciclo que pela primeira vez sai do museu e vai para as ruas da cidade de Lamego…

Em outubro, no dia 6, “Douro Interior|Exterior. Arte e Imagem” marca a edição 2017 das Conferências do Museu de Lamego/CITCEM, que irão discutir novas abordagens em torno do binómio “Interior”, enquanto isolamento, distanciamento, demarcação, e “Exterior”, como olhar, interpretação e leituras, numa abordagem crítica e sintética à luz da História e da História da Arte.

Em 2017, não há motivos para não visitar o Museu de Lamego, numa programação que até ao final do ano traz ainda maratonas de fotografia, formação, museu em imagens, lançamentos de livros e e-books.